Qualidade de vida de idosos residentes em uma instituição de longa permanência

Ingrid da Silva Macêdo de Souza, Karla Damiano Teixeira, Simone Caldas Tavares Mafra, Adelson Luís Araújo Tinoco

Resumo


O presente estudo objetivou avaliar a qualidade de vida (QV) dos idosos residentes na instituição de longa permanência para idosos São Vicente de Paulo de Ubá, MG, e verificar os possíveis fatores intervenientes. Como forma de coleta de dados, foram utilizados o questionário sociodemográfico e o instrumento WHOQOL-Bref. As informações sociodemográficas foram analisadas por meio da análise univariada, e os dados referentes ao instrumento WHOQOL-Bref, da análise univariada, do teste t de Student, do coeficiente de correlação de Pearson. A população avaliada foi composta por 20 idosos com idades entre 62 e 87 anos, sendo 14 do sexo masculino e 6 do sexo feminino. De acordo com os resultados, os idosos não apresentavam baixa QV e os fatores que interferiram na QV foram capacidade física, autonomia, ambiente físico e intimidade. Faz-se importante investir em ações que objetivem melhorar a QV do idoso institucionalizado, considerando as diferenças no modo de vida, a personalidade, a privacidade, os hábitos, a autonomia, o espaço e, identificar os fatores que os idosos realmente valorizam. Assim, as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) poderão possibilitar que os seus residentes mantenham um cotidiano de respeito, dignidade e qualidade de vida.

Palavras Chave: Qualidade de Vida; Envelhecimento; ILPIs.

 

ABSTRACT

This study aimed to analyze the quality of life (QV) of elderly living in NHs St. Vincent de Paul City Uba/MG, and to verify the possible intervenient factors that may influence their QV. The data were gathered using a sociodemographic questionnaire and the WHOQOL-Bref assessment. The data were analyzed through univariate analyses, test t – Student, and Pearson Correlation. The population comprised 20 elder people, aging from 62 to 87 years old, being 14 male and 6 female. The results showed that the elderly did not present low quality of life, and the intervenient factors that influence in their QV were physical capability, autonomy, physical environment and intimacy. It is important to invest in actions that improve the quality of life of institutionalized people, considering the differences in the way of life, personality, privacy, autonomy, and space, as well as, to identify the factors that are important to the elderly.

 

Key-Words: Quality of Life, Ageing, NHs.

 


Referências


ARAÚJO, L. F.; COUTINHO, M. P. L.; SANTOS, M. F. O idoso nas instituições gerontológicas: um estudo na perspectiva das representações sociais. Psicologia Sociedade, v. 18, n. 2, p. 89-98, 2006.

BERTOLUCCI, P. H. F.; BRUCKI, S. M. D.; CAMPACCI, S. R.; JULIANO, Y. O Mini-Exame do Estado Mental em uma população geral – impacto da escolaridade. Arquivos de Neuropsiquiatria, v. 52, n. 1, p. 1-7, 1994.

BRASÍLIA. Relatório de inspeção a instituições de longa permanência para idosos (ILPIs). Brasília, 2008. p. 112.

CALDAS, C. P. Envelhecimento com dependência: responsabilidades e demandas da família. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, n. 3, p. 773-781, 2003.

CHACHAMOVICH, E. Qualidade de vida em idosos: desenvolvimento e aplicação do módulo WHOQOL-Old e teste do desempenho do instrumento WHOQOL-Bref em uma amostra de idosos brasileiros. 2005. 154 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

CHAIMOWICS, F.; GRECO, D. B. Dinâmica da institucionalização de idosos em Belo Horizonte, Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 33, n. 5, p. 454-460, 1999.

COMERLATO, E. M. B.; GUIMARÃES, I.; ALVES, E. D.Tempo de Ampliar e tempo de colher: as representações sociais de profissionais de saúde e idosos sobre o processo de envelhecimento. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 09, n. 03, p. 736-747, 2007.

CONVERSO, M. E. R.; LARTELLI, I. Caracterização e análise do estado mental e funcional de idosos institucionalizados em instituições públicas de longa permanência. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 56, n. 4, p. 267-272, 2007.

CRUZ, C. D. Programa GENES: estatística experimental e matrizes. Viçosa, MG: Editora UFV, 2006.

DIAS, I. G.; TEIXEIRA, K. M. D.; LORETO, M. D. S.; MAFRA, S. C. T. Reflexão dos idosos e de seus familiares acerca do relacionamento intergeracional antes e após a institucionalização asilar. Oikos, v. 18, p. 67-87, 2007.

DAVIM, R. M. B.; TORRES, G. V.; DANTAS, S. M. M.; LIMA, V. M. Estudo com Idosos de Instituições Asilares no Município de Natal/RN: características socioeconômicas e de saúde. Revista Latino Americana de Enfermagem, v. 12, n. 3, p. 518-24, 2004.

FLECK, M. P. A.; LUOZADA, S.; XAVIER, M.; CHACHAMOVICH, E.; VIEIRA, G.; SANTOS, L.; PINZON, V. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Revista de Saúde Pública, v. 34, n. 2, p. 178-83, 2000.

FLECK, M. P. A.; CHACHAMOVICH, E.; TRENTINI, C. M. Projeto WHOQOL-OLD: método e resultados de grupos focais no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 37, n. 6, p. 793-799,

FERREIRA, P. A. Qualidade de vida nas instituições de longa permanência para idosos do Estado de Minas Gerais, 2005. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2010.

LAKS, J.; VEJA, Ú.; SILBERMAN, C.; ROZENTHAL, M.; NIGRI, F. N.; FREITAS, R. C.; MACHADO, M.; ENGELHARDT, E. Rastreamento cognitivo em idosos esquizofrênicos institucionalizados. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 22, n 4, p. 159-63, 2000.

LEI Nº 10.741, de 1o de outubro de 2003, p. 23. Estatuto do idoso. Disponível em:

< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.741>. Acesso em: 28 out. 2007.

LINDGREN, A. M.; SVARDSUDD, K.; TIBBLIN, G. Factors related to perceived health among elderly people: the Albertina Project. Age and Ageing, v. 23, n. 4, p. 328-333, 1994.

MALTA, D. C.; CEZÁRIO, A. C.; MOURA, L.; NETO, O. L. M.; JUNIOR, J. B. S. A construção da vigilância e prevenção das doenças crônicas não transmissíveis no contexto do sistema único de saúde. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 15, n. 1, p. 47-65, 2006.

MANUAL WHOQOL-OLD POWER, M.; SCHMIDT, S.; WHOQOL-OLD Group. Organização Mundial de Saúde. [S.l.: s.n.t.].

MELO, D. M. Envelhecimento saudável – Uma questão de opção. 2003. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2008.

NERI, A. L. Qualidade de vida e idade madura. Campinas, SP: Papirus, 1993.

NERI, A. L. Envelhecimento e qualidade de vida na mulher. In: CONGRESSO PAULISTA DE GERIATRIA E GERONTOLOGIA, 2., 2001, Campinas. Anais... Campinas, SP: UNICAMP/GERP, 2001.

OLIVEIRA, C. R. M.; SOUZA, C. S.; FREITAS, T. M.; RIBEIRO, C. Idosos e família: asilo ou casa, 2006. Portal dos Psicólogos. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2009.

PAIS-RIBEIRO, J. L. Quality of life is a primary end-point in clinical settings. Clinical Nutrition, n. 23, p. 121-130, 2004.

PAVAN, F. J.; MENEGHEL, S. N.; JUNGES, J. R. Mulheres idosas enfrentando a institucionalização. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 9, p. 2187-2190, 2008.

PEREIRA, R. J.; COTTA, R. M. M.; FRANCESCHINI, S. C. C.; RIBEIRO, R. C. L.; SAMPAIO, R. F.; PRIORE, S. E.; CECON, P. R. Contribuição dos domínios físico, social, psicológico e ambiental para a qualidade de vida global de idosos. Revista de Psiquiatria, v. 28, n. 1, p. 27-38, 2006.

SANTOS, S. R.; SANTOS, I. B. C.; FERNANDES, M. G. M.; HENRIQUES, M. E. R. M. Qualidade de vida do idoso na COMUNIDADE: aplicação da escala de Flanagan. Revista Latino Americana de Enfermagem, v. 10, n. 6, p. 757-64, 2002.

SANTOS, K. R. Imagens e narrativas de uma instituição asilar e da velhice, construídas por três segmentos distintos: idosos moradores, gestores e voluntários. 2007. 253 f. Dissertação (Mestrado em Gerontologia) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2007.

SANTOS, A. J. Cotidiano familiar e qualidade de vida de usuários dependentes de cuidado – Programa de Saúde da Família. 2008. 106 f. Dissertação (Mestrado em Economia Doméstica) – Universidade federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2008.

THE WHOQOL Group. The development of the World Health Organization Quality of Life Assessment Instrument (the WHOQOL). In: ORLEY, J.; KUYKEN, W. Quality of life assessment: international perspectives. Heidelberg: Springer Verlag, 1994. p. 41-60.

WHO – World Health Organization. WHOQOL-Bref: introduction, administration, scoring and generic version of the assessment, 1996.

WHO – World Health Organization. WHOQOL measuring qualy of life. Division of Mental Health and Prevention of Substance Abuse World Health Organization, 1997.

VERAS, R. P. País jovem com cabelos brancos: a saúde do idoso no Brasil. Rio de Janeiro: Relume-Dumará/Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1994.

VERAS, R. P. Modelos contemporâneos no cuidado à saúde: novos desafios em decorrência da mudança do perfil epidemiológico da população brasileira. Revista USP, v. 51, p. 72-85, 2001.

VERAS, R. P. Em busca de uma assistência adequada à saúde do idoso: revisão da literatura e aplicação de um instrumento de detecção precoce e de previsibilidade de agravos. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, n. 3, p. 705-715, 2003.

XIMENES, M. A.; CÔRTE, B. A instituição asilar e seus fazeres cotidianos: um estudo de caso. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, v. 11,

p. 29-52, 2007.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Revista Brasileira de Economia Doméstica

ISSN: 2236-8493